PÁGINA PRINCIPAL
NOSSA IGREJA
MISSAS E CELEBRAÇÕES
ÁLBUM DE FOTOS
ÁLBUM DE VÍDEOS
QUADRO DE AVISOS
ESPAÇO PAROQUIANO
MENSAGENS DO PÁROCO
PEDIDO DE ORAÇÃO
ORAÇÕES E MENSAGENS
FALE CONOSCO
   
   

 
 
   
   

POR QUE CRER? EM QUE CRER?  
"Estarás comigo no paraíso” Lc 23, 43  
A fé nos leva a crer nas verdades que Deus apresenta. Essa concordância com as verdades de Deus é sempre sobrenatural, porque estas mesmas verdades são sobrenaturais. Por isso, a fé não se dá somente com nossas forças, pelo contrário, é necessária uma elevação à realidade divina, que é realizada por Deus na inteligência humana através da virtude sobrenatural.

É Deus quem age em mim quando creio em suas verdades, mesmo quando são misteriosas. Como é o caso da doutrina do purgatório. Gostaria de tocar neste tema, pois estamos no mês de novembro e especialmente neste mês rezamos por nossos parentes falecidos e por todos os fiéis defuntos.

Como cremos a morte não é o fim, pois Nosso Senhor Jesus Cristo mesmo diz ao bom ladrão arrependido, crucificado ao seu lado: “Hoje, estarás comigo no paraíso” . Lc 23, 43. O paraíso deve ser o fim do homem, e não a morte. Acreditamos, portanto que aqueles que morreram arrependidos de seus pecados, recebendo os santos sacramentos, têm grande possibilidade de estarem no paraíso.

Mas e aqueles que não receberam os sacramentos, mas morreram arrependido? Podem estes estar no céu? Nada de impuro pode adentrar o céu, no entanto estes filhos amados de Deus não podemos dizer que foram lançados no inferno, afinal Deus é infinitamente misericordioso. E a grande misericórdia de Deus não lhes falta neste caso. Deus lhes dá a oportunidade da purificação, sim estamos falando do purgatório. A Igreja chama de purgatório esta purificação final dos eleitos, que é completamente diferente do castigo dos condenados. A Igreja fala sobre um fogo purificador, que purifica a alma.

Este ensinamento apóia-se na afirmação que Nosso Senhor faz em Mt 12, 31, onde se deduz que certas faltas podem ser perdoadas no século presente, ao passo que outras, no século futuro. (cf. Cat. 1031s.) Além disso, apóia-se também na prática da oração pelos defuntos, da qual já a Bíblia fala em II Mc 12, 46, onde Judas Macabeu oferece o sacrifício pelos que haviam morrido, com o objetivo do perdão de seus pecados.

Desde o inicio da Igreja se honrou a memória dos falecidos, com o objetivo de chegarem ao Céu. A Igreja oferece sufrágios em seu favor, em especial a Santa Missa, oferece também as esmolas, as indulgências e as obras de penitência em favor dos defuntos.

Podemos, portanto rezar por aqueles que se encontram no purgatório, oferecer como Igreja a Santa Missa pelos fiéis falecidos, para que aqueles que ainda sofrem sob o fogo purificador possam voar o mais rápido possível para diante de Deus. Afinal queremos também nós ir para o céu e lá encontrarmos nossa família diante de Deus.

Pe Douglas

Regnare Chistum volumus



28/10/2009

 
  <<voltar